Florbela Espanca

Florbela Espanca
Florbela Espanca, batizada como Flor Bela Lobo, e que opta por se autonomear Florbela d’Alma da Conceição Espanca,
foi uma poetisa portuguesa. A sua vida, de apenas trinta e seis anos, foi plena, embora tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos íntimos que a autora soube transformar em poesia da mais alta qualidade, carregada de erotização, feminilidade e panteísmo.
Nascimento: 8 de dezembro de 1894, Vila Viçosa, Portugal • Falecimento: 8 de dezembro de 1930, Matosinhos, Portugal

Exibir:
Organizar por:

A amizade é o maior sentimento

“A amizade é o maior sentimento que não morre.” - Florbela Espanca ..

R$ 69,90

A ironia é a expressão mais

“A ironia é a expressão mais perfeita do pensamento.” - Florbela Espanca ..

R$ 69,90

A ociosidade é a mãe

“A ociosidade é a mãe da maledicência, da calúnia e da intriga, coisas a que eu já não sei se hei-de..

R$ 69,90

A vida é sempre a mesma

“A vida é sempre a mesma para todos: rede de ilusões e desenganos. O quadro é único, a moldura é que..

R$ 69,90

Afinal, quem é que tem

“Afinal, quem é que tem a pretensão de não ser louca? ...Loucos somos todos, e livre-me Deus dos ver..

R$ 69,90

Conheço maus, egoístas

“Conheço maus, egoístas, estúpidos, velhacos, desgraçados, indiferentes, mas santos não os conheço, ..

R$ 69,90

E se um dia hei de ser pó

“E se um dia hei de ser pó, cinza e nada, que seja minha noite uma alvorada, que eu saiba me perder ..

R$ 69,90

Eu julgo que a mulher

“Eu julgo que a mulher verdadeiramente digna é aquela a quem repugna uma traição, seja ela de que na..

R$ 69,90